Dieta vegetariana exclusiva e câncer




Os veganos têm menos câncer do que os onívoros? Essa pergunta procurou ser respondida por alguns estudos recentes. Em um dos estudos, os veganos apresentaram uma redução de 18% dos casos de câncer, de acordo com os dados encontrados em duas populações, a população do Oxford Vegetarian Study e a população do estudo EPIC-Oxford, dois importantes estudos do Reino Unido que fizeram uma avaliação na qual a população vegana foi comparada com as populações vegetariana, pescovegetariana e onívora(38). Em outro estudo, o Adventist Health Study 2, os veganos apresentaram uma redução de 14% no número total de cânceres(39). Porém, essas reduções foram estatisticamente não significativas, porque os intervalos de confiança encontrados foram 0,73-1,00 e 0,81-1,00, respectivamente, após um ajuste de múltiplas variáveis (40). O que isso significa? Significa que estatisticamente não foi possível comprovar uma diminuição no número de mortes por câncer entre os veganos em comparação às mortes causadas por câncer entre os onívoros. Em outras palavras, de acordo com os cálculos estatísticos, ter uma dieta vegetariana exclusiva não reduz suas chances de ter um câncer, mas também não aumenta as suas chances.

Porém, aqui cabe uma crítica. Já comentei esse assunto uma vez no livro, mas gostaria de voltar ao tema. Essas análises com ajustes de múltiplas variáveis procuram avaliar qual o papel isolado da dieta vegetariana exclusiva em relação ao câncer. Entretanto, não seria interessante avaliar se o vegano está mais protegido do câncer em vez de avaliar se a dieta vegetariana exclusiva protege do câncer? Em uma análise realizada no estudo de Tantamango-Bartley e colegas na qual o índice de massa corporal (IMC) não foi incluído, a dieta vegetariana exclusiva esteve associada estatisticamente com a redução dos cânceres em geral. Quando o ajuste foi realizado apenas com a variável “idade”, a dieta vegetariana exclusiva também esteve associada estatisticamente com a redução dos casos de câncer. A mesma situação ocorreu no estudo de Key e colaboradores, quando a variável IMC foi excluída do cálculo estatístico: a redução dos casos de câncer foi estatisticamente significativa.

Os veganos fumam menos, bebem menos, praticam mais atividade física e possuem mais hábitos saudáveis do que os onívoros. Ainda não foi cientificamente provado que o veganismo influencie essas práticas, mas o bom senso sugere que, se você ingressa em um grupo no qual os hábitos saudáveis são mais comuns do que em outros grupos, é natural que você também passe a praticá-los com uma maior intensidade.

Veganismo e Câncer Colorretal

Em relação aos casos de câncer colorretal, a dieta vegetariana exclusiva não esteve relacionada com uma redução estatisticamente significativa dos casos de câncer, mesmo em um ajuste apenas pela idade, raça e sexo(41).

38 Key, 2014.

39 Tantamango-Bartley, 2013.

40 Tantamango-Bartley, 2013.

41 Orlich, 2015.

Referências

Key TJ, Appleby PN, Crowe FL, Bradbury KE, Schmidt JA, Travis RC. Cancer in British vegetarians: updated analyses of 4998 incident cancers in a cohort of 32,491 meat eaters, 8612 fish eaters, 18,298 vegetarians, and 2246 vegans. Am J Clin Nutr. 2014 Jul;100 Suppl 1:378S-85S.

Tantamango-Bartley, Y.; Jaceldo-Siegl, K.; Fan, J.; Fraser, G. Vegetarian diets and the incidence of cancer in a lowrisk population. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev; 22(2) February 2013.

Orlich MJ, Singh PN, Sabaté J, Fan J, Sveen L, Bennett H, Knutsen SF, W. Beeson WL, Jaceldo-Siegl K, Butler, Herring RP, Fraser GE. Vegetarian Dietary Patterns and the Risk of Colorectal Cancers. JAMA Intern Med. 2015 May 1; 175(5): 767-776.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *